terça-feira, 30 de novembro de 2010

Ora bolas

julian_assange

Este sinistro senhor – Julian Assange - não sai dos jornais e das televisões.

É a wikileaks: a maior fuga de informação cibernética de que há memória e que tem posto tonta a administração norte-americana.

“Ficamos” a saber que Ahmadinejad é louco, que Berlousconi é tarado, que Putin é autoritário, que a China é perigosa, que Kim Jon-il é flácido, e que Ângela Merkel é medrosa. E depois?

A única novidade (pelo menos para mim) é saber que Khadaffi é hipocondríaco.

Simplicidade pop

 

Os Avi Buffalo, de Long Beach, California, têm um (recente) álbum de estreia muito bom.

O tema What’s in it for?

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Grandiosa inutilidade

ng1387393

Foto_DN

 

O desgoverno a que Portugal tem sido sujeito está claramente reflectida no Relatório do Tribunal de Contas sobre o aeroporto de Beja.

Destinado a custar 24 milhões de euros, já vai em 34 milhões e, quando terminado, deverá ultrapassar os 70!

Sem ligações, perspectivas de futuro ou previsível utilidade, este aeroporto é um retrato claro de Portugal. E que tal responsabilizar todos aqueles que congeminaram esta grandiosa inutilidade?

Morena burra

 

images

A confusão que Sarah Palin fez entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul não é um lapso, é uma constância de disparates ao nível da política externa que a ex-candidata a vice-presidente, pelos Republicanos, vem acumulando.

Mostra o nível absolutamente confrangedor que tem.

Não creio que os EUA, por mais dificuldade e descrença, embarquem em aventuras como esta. Isso sim, seria preocupante.

Acção de graças

 

O feriado Thanksgiving Day é comemorado no Canadá e nos Estados Unidos em dias diferentes, mas sempre em Novembro.

Nos EUA comemorou-se ontem: a quarta quinta-feira deste mês.

A parada de Nova Iorque é particularmente famosa…

the epoc times

 

gavin jones

 

Shen Hong

… seguindo a tradição de tornar qualquer festa em “coisa de Disney”.

 

 

 

Fotos: The Epic Times, Gavin Jones e Shen Hong.

 

 

article-1333086-0C3CD1C3000005DC-797_634x419

 

 

article-1333086-0C3CD073000005DC-34_634x693

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

O Bravo

PH2010111806077

O sargento Salvatore Giunta demonstrou bravura, determinação e respeito pelos camaradas, no Afeganistão.

Recebeu, das mãos de Obama, a Medalha de Honra do Congresso: mais alta condecoração norte-americana por valor em combate (no Afeganistão).

 

uma história

O amigo chinês

 

liuxiaobo1

A quantidade de países que tem recusado comparecer na entrega do prémio Nobel da Paz, combinada com a dificuldade (impossibilidade) em ter Liu Xiaobo ou quem o represente na cerimónia de Oslo, pode pôr em causa a realização dessa mesma cerimónia.

Vivemos sob a ditadura diplomática da China.

Agradeço por isso ao “destino” por viver na Europa e não quero de cá sair por mais que os tontos manipuláveis se divirtam a protestar contra a NATO que, diga-se, assegurou a nossa liberdade no pós-II Guerra Mundial.

A não ser que, como o inenarrável Francisco Lopes, haja nostalgia da falta de liberdade e democracia das ditaduras comunistas.

Não há vida para além do défice

 

sampaio 1995

Foi em 2003 que face à postura firme de Manuela Ferreira Leite, então Ministra das Finanças, o Presidente Jorge Sampaio alinhou pela sanha demagógica e irresponsável do PS  e, no discurso de 25 de Abril, atacou a política do Governo de então dizendo que “há vida para além do défice”.

Coisa, diga-se, que Cavaco nunca fez. Nem com este incompetente Governo. É necessário haver sentido de Estado!… mesmo na desgraça.

A verdade nua e crua, que hoje percebemos em virtude da crise internacional, é que não há. E das duas uma: ou pomos (finalmente) em ordem as contas públicas … ou iremos directamente para o nível da vida do terceiro do mundo (fora do Euro e da Europa).

Não se faz

 

O golo anulado a Cristiano Ronaldo - no nosso novo 1º de Dezembro - não se poderia anular.

Só um árbitro burro e um Nani despropositado tiveram coragem de se atravessar no caminho deste lance genial. Nem que houvesse falta … qualquer homem que gosta da modalidade nunca o anularia.

Uma pena.

(comentários de gente que percebe de futebol, argentinos muito possivelmente).

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

As agulhas no palheiro - II

 

guimaresjazz2010 

O Guimarães Jazz é um orgulho, uma preciosidade.

Como tão bem cresceu este festival desde 1992. Desde esse ano dos músicos portugueses com a Big Band do Hot Club e a Maria João com o Mário Laginha no Paço dos Duques, o caricato concerto em família da Maria Viana no Jets, ou a incrível festa que no Milenário deu a Dixiegang.

O festival soube aguentar a visão inicial do Convívio e a Câmara soube dar-lhe a dimensão que hoje, inegavelmente, tem no panorama nacional. É daquelas coisas bem feitas, bem programadas e executadas, que deram a Guimarães o cosmopolitismo que sempre lhe faltou. Além, claro, do prazer de ser esmagado por concertos como o da Betty Carter em 1995.

2006000118

Este ano não foge à regra. Tirando o concerto de sábado, a que faltei para poder saborear tranquilamente o mais mundano prazer do futebol, nada poderia começar melhor do que com duas festas. A primeira, mais caótica, na quinta-feira com a banda de tributo a Lionel Hampton. A segunda, mais virtuosa, com um fabuloso Kenny Garrett. Tudo assim: como se tivesse mesmo que ser assim.

As agulhas no palheiro - I

closed-

Os nossos dias no nosso país têm, ultimamente, qualquer coisa de empresa em pré-falência. A cada dia de trabalho há sempre aquele friozinho no estômago de encontrarmos a porta fechada, enquanto as máquinas saíram já pelas traseiras. Esbarrar num cartaz, na porta da entrada a dizer: “Portugal está fechado”.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

eSCUTa

 

estrada

A embrulhada das SCUT’s é bem portuguesa. No início, quando as concessões foram lançadas era só facilidades: fazer agora para pagar depois. Não quem as utilizava mas todos nós… daí o Sem Custos para o UTilizador.

De repente, as mesmas mentes que achavam, há dez anos, que eram tudo facilidades inventaram os pórticos e puseram dificuldades inimagináveis a quem as utiliza (ver Público). Os estrangeiros ficam loucos com a dificuldade e burocracias, os camiões do lixo da Maia pagam portagens no seu circuito interno…

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Nostalgia

 

Cartazes políticos ….

2006005653

 

2006005575

 

2006005531

 

2006004808

 

 2006005598

2006005608

 

sampaio 1995

 

2006005500

2006005626

 

 2006004781

 

 

 2006003920

Fonte: Universidade de Aveiro

Happy people

ng1371708

Para registo: este saxofonista (Kenny Garrett) foi absolutamente brilhante na última sexta-feira, no Guimarães Jazz.

 

Um festival … imaculado.

sábado, 13 de novembro de 2010

Ter juízo

Luis-amado

A entrevista de Luís Amado hoje ao Expresso volta a mostrar o MNE português como um homem lúcido. Depois das vitórias diplomáticas que Portugal tem conseguido por sua iniciativa, Amado revela-se como um político combativo e frontal. Amado mostra aquilo que muitos já viram: o rei vai nu e Portugal não aguenta com tanta guerrilha política pois a situação é (mesmo) muito difícil.

media-efd4

Por estas e por outras via com bons olhos, depois das eleições presidenciais, um Governo de iniciativa presidencial com gente de sensibilidades diferentes, mas sobretudo pessoas sérias e competentes.

A história da coligação, com estes actores e nestas circunstâncias, parece-me impossível e desaconselhável.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

É bem vista …

images

… a utilidade da expressão “é triste”. Por José de Pina (crónica do i):

“No tempo em que Carlos Cruz ainda só fazia perguntas e não dava respostas em tribunal, Álvaro Cunhal respondeu-lhe, num programa, o que achava da homossexualidade, dizendo: "É triste". Cunhal escapou brilhantemente a uma das perguntas mais difíceis que se podem fazer a um comunista ortodoxo. O "triste" integra-se na categoria de palavras que podem significar muito mas que, em determinado contexto, não definem nada. Triste não é elogioso nem ofensivo. Triste não é o mesmo que infeliz, essa sim uma palavra que poderia ser depreciativa. O triste, bem utilizado, não compromete. Lembrei-me deste episódio cunhalesco por causa da posição de Manuel Alegre em relação à greve geral. Começou por dizer: "Não tenho de apoiar ou deixar de apoiar". Ora aqui está uma frase de quem está à rasca; é como o "Não confirmo nem desminto". Sendo Alegre um poeta, esperava mais dele, por exemplo "a greve geral é triste". Vejamos, a greve geral é triste porque o povo está em dificuldades ou por ser uma acção condenável? Perfeito! Alegre entretanto melhorou e agora diz: "A greve geral vai ser um momento de grande significado sindical, político e democrático". Limita-se a definir o que é uma greve geral. É como dizer: "A goleada do Porto ao Benfica foi um momento de grande significado clubístico, futebolístico e desportivo", uma frase que não desagrada nem a portistas nem a benfiquistas. Alegre vai ter de usar os seus dotes semânticos, porque ser apoiado simultaneamente por um partido radical de esquerda e por um partido de direita não é fácil, ou melhor, é triste!”

O contribuinte do futuro…

 

… ou quase já do presente.

 

Associação francesa em http://www.contribuables.org/.

 

Agradecendo ao João Paulo.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Niki

 

 

41671610_965b96b8f2

 

niki

Niki de Saint Phalle

46art1

 

mosaic505e572da186960409e3d885dc2cdf97aefb4b48 

draft_lens2356957module18526852photo_1235985441niki_de_saint_phalle-adam_and_eve

Pobre Itália

129_743-alt-06-MHG-mundo-pompeia 

Já não lhe bastava a saída de Mourinho e o constante aparecimento das meninas de Berlusconi … e a grande Itália dá hoje sinais de desabamento físico dos seus monumentos. A casa dos gladiadores com mais de 2000 anos, que resistiu ao Vesúvio, desabou no passado sábado.

E há quem refira outros perigos: as torres de Bolonha, a Catedral de Florença, entre outros monumentos.

É mau sinal este abandono para quem faz da sua história a sua essência.

Porca miseria.

sábado, 6 de novembro de 2010

Cansado de economistas

 

india-stock-market

Estou verdadeiramente cansado dos economistas que nos anunciam, dia a dia, o inferno nos principais noticiários nacionais. São uma praga. Ou melhor, continuam a ser … pois há um ano atrás deixaram a falar sozinhos os lúcidos (Ferreira Leite, Medina Carreira) outrora loucos.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Clandestina

Vai estar hoje em Guimarães Scout Niblett: à meia-noite no café concerto do CCVF.

Não compreendo como a atiram assim para a cave…

Eu, apesar da hora tardia, vou lá estar.