segunda-feira, 3 de março de 2014

Elegância Resnais


Os primeiros filmes que nos fazem perceber a dimensão do cinema marcam para sempre. Assim foi e é a minha relação com Alain Resnais.
Os primeiros filmes que dele vi foram precisamente as suas primeiras duas longas-metragens: Hiroshima meu amor (1959, baseado num magnífico livro de Marguerite Duras, com Emmanuele Riva a atriz de Amor) e o incrível O último ano em Marienbad (1961).





Nem as suas belas obras mais "mediáticas" como Providence (1977) e  O meu tio da América (1980) foram em mim tão fundamentais como os referidos filmes a preto e branco.


Alain Resnais não filmou muito. Filmou bem. Filmou com uma elegância que permanecerá tão eterna como o cinema.

Sem comentários: