segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Só entram casais

miguel barreira

Pessoalmente não tenho grande pachorra para perder tempo com polémicas estéreis. Prefiro sofrer e concentrar-me nos difíceis casos da política nacional, dos quais depende o futuro e a sanidade do país.

O interessante jornal i levanta, ao seu jeito, uma nova polémica a que dá honras de principal destaque. Mais um caso gay chic.

Ora vá lá saber-se então que a gamebox duo do Sporting, um pacote de jogos para duas pessoas sócias,  é feita (pasme-se) apenas para casais heterossexuais.

Vai daí que se ouve o cão, o gato, o peixe, o Miguel Vale de Almeida (claro!), e o inefável José Miguel Júdice. “Não pode ser” respondem todos em coro, apesar das dúvidas do peixe.

globo

Será que está tudo maluco ou eu estou a ficar um perfeito bota-de-elástico sem dar por isso?

E se há clube que me parece gay friendly  é o Sporting. Tanto pela camisolinha, como pela atitude.

Enfim, que maldade lhe haviam de fazer … queixarem-se à ASAE por discriminação de casais.

Já não bastava o chouriço caseiro e os doces de ovos para a desaparecida ASAE se preocupar. Agora isto!

domingo, 29 de novembro de 2009

A resistente

shirin_ebadi

“O Nobel da Paz de Shirin Ebadi – o primeiro atribuído a uma muçulmana – foi confiscado por um regime islâmico.
É um acto “chocante” e sem precedentes nos 108 anos de história deste prémio, lamentou o comité norueguês que a galardoou. Responsáveis em Teerão garantem que só congelaram contas bancárias por fuga aos impostos. “Eles não dizem a verdade!”, acusou a advogada a quem ameaçaram a família, vandalizaram a casa e  encerraram o escritório (…)”

Público (28.11.09)

286797

Foto_Reuters_Thierry_Roge

Shirin Ebadi continua a ser o rosto da resistência pacífica ao regime de Teerão. Desapossada, desde cedo, da possibilidade de exercer a sua profissão de juíza, esta mulher sentiu e sente na carne toda a loucura e indignidade do radicalismo islâmico.

Continua a viver em Teerão, apesar das ameaças de morte (ver notícia do Público) de que tem sido alvo.

Uma escritora corajosa e notável: A gaiola de ouro.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A semana do Reduzir

Esta semana está contida na Semana Europeia de Redução de Resíduos, que decorre entre 21 e 29 de Novembro.

Segundo a UE esta semana destina-se a:

  • Dar a conhecer as estratégias de redução de resíduos e a política da União Europeia e dos seus Estados membros nesta matéria
  • Promover acções sustentáveis de redução de resíduos por toda a Europa
  • Realçar o trabalho realizado por diversos intervenientes, através de exemplos concretos de redução de resíduos
  • Incentivar uma mudança de comportamento dos Europeus (consumo, produção) no dia-a-dia.

Pode dar-se uma vista de olhos em (clicar na imagem):

SEP

E depois do adeus

nuno simas Foto: Nuno Simas

O PSD entrou na esquizofrenia que o tem caracterizado nos últimos anos. Andando, furiosamente, em círculos, sem sair do lugar em que inicialmente se encontrava.

O pretexto é naturalmente a sucessão na liderança.

Quem me conhece minimamente não estranhará a minha simpatia por Marcelo Rebelo de Sousa. Ainda recentemente a isso me referi. Gosto de gente com substância e penso que o país necessita disso.

Que o queira, já é outra questão…

Simpatizo e aprecio as qualidades retóricas e fotogénicas de Pedro Passos Coelho. Parece-me “boa praça”. No entanto ele representa, e representará, o “equilibrismo”. Estará naturalmente na mão de gente como o presidente da Distrital do Porto que ontem deu uma entrevista ao seu estilo, ao estilo “estou aqui, sou eu o brise contínuo novo desodorizante”. O que me irrita sobremaneira. E não contribuirá para uma liderança forte, mas para uma liderança ao sabor de sindicatos de voto devidamente referenciados.

O PSD precisa de um líder que valha por si.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

A valsa lenta

 

pub

A capa do público hoje diz muito sobre a nossa Justiça.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Contagem decrescente

hopenhagen

A conferência do Clima em Copenhaga está a dias de começar (decorrerá de 7 a 18 de Dezembro).

Sair de lá com um mão cheia de nada é uma franca possibilidade, caso os EUA e a China (os principais produtores de CO2) continuem com evasivas. A reunião dos G2 na China não trouxe qualquer esperança a esse nível.

No entanto os cidadãos continua a ter esperança:

hopenhagen1

Os cidadãos de HOPENHAGEN vão deixando o seu contributo. Vale a pena dar esse contributo em forma de mensagem: é uma espécie de oração. Eu já dei o meu.

domingo, 22 de novembro de 2009

Bem feito

slb2211

Ainda ando eu para aqui a dizer que não há Justiça. Hoje à noite ela voltou, sob a forma de uma bola.

Foto: A Bola

104428_14_7546_IMG_8687

104428_2_2717_IMG_8586_p

Fotos: VSC

sábado, 21 de novembro de 2009

Divertido

grd-388

Expresso (pormenor da página 1)

Podemos queixar de muita coisa. Da corrupção, dos preços da água e da luz, do défice, do desemprego, da função pública, da cidadania, ou das grandes superfícies.

Mas há algo que este país não deixará nunca de ser: um país divertido e sempre, absolutamente, surpreendente.

Zelig

 

Há uns anos atrás Woody Allen apresentou um filme bizarro, mas muito divertido e engenhoso, ao qual deu o nome de Zelig.

No filme, Zelig, uma espécie de camaleão humano, adaptava-se às circunstâncias, do ponto de vista psicológico e físico.

Pinto Monteiro, o PGR, não vai tão longe. Não ganha o jeito afectado e arrogante de Sócrates quando conversa com o PM. Mas que procura não incomodar ninguém, lá isso procura.

9158

Talvez olhe para o seu antecessor, Souto Moura, tão criticado e enxovalhado, mas certamente um homem corajoso e recto, e pense … “quem se mete com o PS leva”.

Foto:Público

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Destino: África do Sul

01

Clima marcial na qualificação da Argélia (1-0) contra o Egipto.

19 Festejos pelo golo irlandês que lhes garantiria a merecida qualificação, não fora o golo fantasma da França no prolongamento. Enfim, o costume…

20 O grande Trap em primeiro plano. Lá ao fundo: Domenech.

22

O nosso contentamento.

Foto: AP, Afp(2) e Reuters

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Do melhor

O ano de 2009 não tem sido mau, musicalmente falando. Há o Veckatimest dos Grizzly Bear, o Welcome Joy dos The Cave Singers, o Atlantic Ocean do Richard Swift, ou mesmo a simplicidade interessante dos finlandeses Cats on Fire. Os Franz Ferdinand e o novíssimo A Strange Arrangement de Mayer Hawtorne pontuam também na minha chart pessoal.

m_1c8709fe1b4248858b5d940b3e8d0713

No entanto o ano está a acabar e convém fazer contas. Há 3 álbuns absolutamente excepcionais.

A minha primavera ficou marcada pelo Noble Beast de Andrew Bird.

O meu verão foi, basicamente, God Help the Girl.

 m_c71184a0fd8848f5a5a6e79cb9bd344e

No meu outono-inverno só dá The XX. Uma coisa absolutamente espantosa saída, aparentemente do nada – segundo Luís Leal de Miranda no i de hoje, “não saíram da casa da mãe, mas correm o mundo com canções do tempo dos pais”- e que não descolam da minha aparelhagem ou do meu carro.

Um CD exxxxtraordinário. Comprei-o ontem na inauguração da FNAC. Ficaram lá mais 2 ou 3…

Crystalized no YouTube

The XX d.r.

Foto retirada do i (D.R.)

(Jamie Smith, Baria Qureshi, Romy Madley, Oliver Sim)

O leve Povo

ze114

É com agrado que vejo O Povo de Guimarães erguer-se em oposição à inércia que o tem fossilizado ao longo dos últimos anos.

O Povo é um jornal que pela sua história merecia a leveza que, aos poucos, se vai instalando.

Já o leio agora.

A boa nova deve-se, sem dúvida, ao trabalho das novas jornalistas e à visão e vontade do seu novo director: Jorge Castelar.

Foto: Entre ambos os Aves (blogue)

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Rugby em S.Siro

80.000 espectadores presenciaram o Itália – Nova Zelândia em râguebi.

13212503  

Domínio dos All Blacks (6-20). Sem surpresa.

Fotos:Gazzeta dello Sport

O deserto branco

O lítio é o metal dos tempos modernos.

Utilizado abundantemente nas baterias dos nossos aparelhos electrónicos, o mercado do lítio cresce a olhos vistos com a aposta das grandes marcas de automóveis nos veículos eléctricos.

atacama

SALAR DE ATACAMA 

Salina de Atacama (Chile)

90% das reservas de lítio encontram-se em salinas, na confluência de 3 países: Chile, Bolívia e Argentina. Respectivamente Atacama, Uyuni e Hombre Muerto.

 

uyuni Carlos adampol (salina Uyuni BOL) Salinas Unyuiu (Bolívia)   (carlos adampol)

O jornal chileno La Nácion tem trazido um conjunto vasto de artigos sobre esta realidade que, no Chile, tem tomado contornos políticos dada a pressão para nacionalizar a sua exploração do lítio.

salardelmuerto_ali_2009136_lrgsalar de humbre muerto ARG

Salinas de Hombre Muerto (ARG) (Nasa)

“(…) Às dez da manhã o deserto de Atacama mostrava-se com toda a sua poderosa inclemência, e eu entendi de uma vez por todas porque é que a pele dos atacamenses se mostra prematuramente envelhecida, marcada por sulcos deixados pelo sol e pelos ventos impregnados de salitre”

Luís Sepúlveda, As Rosas de Atacama. Asa(2000).

Imagem (3)Courrier Internacional

FONTES: COURRIER INTERNACIONAL/LA NÁCION

Um deserto branco, rico, desolador.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Há almoços grátis

 

8990 Foto:JMGonçalves/NFACTOS

O Público noticia hoje que os presidentes da Refer, da CP e de outra sociedade pública terão pago aos seus gestores, com o cartão de crédito das empresas que gerem, o almoço de homenagem à então Secretária de Estado (SE) dos Transportes  Ana Paula Vitorino.

A notícia não surpreende ninguém. Assistimos, no que vamos conhecendo do processo Face Oculta, a mão firme da corrupção nas empresas do estado e as ligações que a mão tem ao poder. Este caso é mais um caso.

Reúne-se a malta paga pelos dinheiros públicos para dar graxa à SE. A SE agradece comovida. Faz-se um brinde à diligência da homenagem, cai uma lágrima furtiva ao Dr. Antunes pela lembrança feliz daquele almoço.

Mas em relação às contas divide-se “à portuguesa”: todos comem e paga o Estado, essa etérea entidade.

Um Estado que, em Portugal, não é o pilar onde assentamos as nossas vidas sociais e profissionais, como deveria ser. Mas um Estado que é uma enorme bunda que se senta, amiúde, em cima da gente.

domingo, 15 de novembro de 2009

Viciante

the cave singers

Não tenho preconceitos contra nenhuma tipo de música. Já os tive; e a folk americana era uma das fronteiras em que mal metia o pé.

The Cave Singers são um vício de uma América que não conheço. Welcome Joy a sua substância.

Foto_editora_Matador

"vídeo" pobrezinho do viciante summer light

A dançar

 

Um rapaz de Detroit caiu com estrondosa elegância na cena musical: Mayer Hawthorne um homem que não quer ser retro, mas é-o … de forma absoluta.

E ainda bem.

sábado, 14 de novembro de 2009

O chico esperto

JoseSocrates-BJosé Sócrates é a imagem mais perfeita do chico esperto nacional.

Merece respeito por isso. Nem que seja apenas o respeito antropológico devido à coisa.

Agora, e mais uma vez, foi apanhado em conversas comprometedoras com outro chico: Armando Vara.

Sobre a TVI e financiamentos do PS, ao que parece. Assuntos suficientemente “cabeludos” para que, num país civilizado e num Estado de Direito, o PM viesse explicar aos portugueses o que falou, o que pensou, o que fez.

Mas o animal político está novamente ao ataque. Ataca a Justiça - como se não fossemos nós, mas sim ele, a vítima – e ataca os jornais e os jornalistas. Um filme conhecido ao longo da sucessão de escândalos a que o associaram.

Tanto se escreve nos nossos jornais sobre os loucos candidatos de província. Gozam-se os pacóvios pelas escolhas da gente simples, que se safam sempre à Justiça e ao veredicto democrático. E se fazem reeleger de forma sólida e impune.

E não se olha para o maior de todos?…

Tem Armani onde os outros têm Maconde, corre em vez de frequentar a tasca, mas não difere na substância de todos os outros: Sócrates o maior dos chicos espertos nacionais!

O príncipe

hans koertMr. Hank Jones, o irmão de Tad Jones (trompete) e Elvin Jones (baterista que acompanhou, entre outros, John Coltrane),  esteve ontem em Guimarães.

georgemraz09-05

Com 91 anos Hank Jones tem muitas histórias escritas a par de músicos únicos como Coleman Hawkins. Não esperava do concerto virtuosismo ou  surpresa. Esperava bom gosto e foi isso que tive.

wiliejonesIII09-01

Com temas de Charlie Parker, Thelonious Monk, JJ Johnson (esse semi-deus!), Recorda-me de Joe Henderson, Green Dolphin Street popularizado por Bill Evans ou Milles Davis, entre outros, o bom gosto prevaleceu.

Fotos de hans koert:

Hank Jones, o espantoso George Mraz e Willie Jones

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

A tentação italiana

0000101066

O artigo de opinião de Pedro Lomba, publicado no i, hoje:

José Sócrates já foi comparado com Blair por causa da sua terceira via. Já foi comparado com Zapatero pelo vanguardismo nos costumes. Mas hoje é para mim claro que a comparação não é entre Sócrates e qualquer dos anteriores. O paralelo a fazer é entre Sócrates e Berlusconi. E é inteiramente necessário e apropriado que o façamos, agora que o presidente do Supremo Tribunal de Justiça declarou nulas as escutas das conversas entre Armando Vara e José Sócrates no processo Face Oculta. Vou explicar porquê.
Em Julho de 2008 Berlusconi conseguiu a aprovação da Lei Alfano, com a qual, entre outras prerrogativas, obteve imunidade temporária nos processos em que era visado antes de ter iniciado funções. A Lei Alfano foi aquilo a que nós, juristas, costumamos chamar lei-medida, pensada especificamente para proteger Berlusconi. Lembro- -me que logo após a publicação da lei a associação de constitucionalistas italianos escreveu um protesto no "La Repubblica": "Em defesa da Constituição." O argumento principal desses juristas era simples: a lei violava o princípio da igualdade dos cidadãos perante a justiça. Simples, claro, irrefutável. Tanto que há um mês o Tribunal Constitucional declarou a inconstitucionalidade da Lei Alfano precisamente com esse fundamento.
Avancemos agora para José Sócrates. A norma que atribui ao presidente do Supremo o poder de autorizar a intercepção, a transcrição ou a gravação de escutas em que intervenha o primeiro- -ministro constitui uma imunidade compreensível numa democracia. A regra em causa tem como funções evitar perseguições políticas, proteger a liberdade dos governantes, limitando o universo de pessoas que podem abrir inquéritos directos a altas figuras do Estado, entre as quais o primeiro-ministro.
Mas é preciso repetir que nenhum desses valores foi posto em perigo no caso Face Oculta. As escutas em que José Sócrates interveio foram autorizadas pelo juiz competente e levadas a cabo num inquérito em que o visado se chama Armando Vara. Sócrates foi apenas um interveniente incidental nessas escutas. Tudo aquilo que terá dito de criminalmente relevante obedece ao chamado regime dos "conhecimentos fortuitos", que a lei hoje regula legitimando o seu aproveitamento noutro processo. É o que dizem os penalistas. E sempre foi essa a posição do Supremo Tribunal, que em acórdãos firmou o princípio de que os conhecimentos fortuitos, obtidos numa escuta válida podem e devem ser aproveitados "se tiverem interesse para a descoberta da verdade ou para a prova no processo para onde são transportados" (sic).
Não conheço, como toda a gente, o conteúdo do despacho em que o presidente do Supremo Tribunal de Justiça declarou nulas as escutas. No entanto, com esta decisão, Noronha do Nascimento não se limitou de lado o regime dos "conhecimentos fortuitos"; conferiu a José Sócrates um privilégio único na justiça portuguesa, o de não estar abrangido por aquele regime só por ser primeiro-ministro. Esta decisão é uma violação do princípio da igualdade dos cidadãos perante a justiça.

Foto: Filipe Casaca (i)

Milestones

 

Tive o privilégio de assistir ontem ao concerto homenagem a Miles Davis, mais propriamente aos 50 anos desse extraordinário objecto musical, devidamente  reconhecido, que é Kind of Blue.

ALeqM5jagCgANUFFJKN_ueCeZlz7JvL6ygJimmy Cobb, o resistente do disco original (AFP)

Kind of Blue de Miles Davis é, aliás, um daqueles raros discos que eu coloco para ouvir quando não me apetece ouvir música…

ALeqM5irdGT23PuCNGIqgmajfH25oXZOMA Wallace Rooney, o “novo” trompete (AFP)

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Os meus filmes #8

 

O céu sobre Berlim…

(Der Himmel über Berlin)

 0

Uma obra-prima de Wim Wenders (1987): As asas do Desejo.

3

1

Vi-o em  Coimbra, em ante-estreia, no Teatro Gil Vicente, nesse distante ano de 1987, dois anos antes da queda do muro. E era Inverno também.

Um grande filme com uma banda sonora inesquecível. Como todos os grandes filmes.

Asas sobre Berlim

11

01

18

16

04 Fotos: Reuters