quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Já nada importa

Depois da fantochada que foram as eleições presidenciais iranianas, nada ficou como era.

Uma série de acontecimentos tornou o dia 12 de Junho de 2009, o dia das eleições, um primeiro dia para dizer “basta”.

A violência cresce todos os dias e qualquer facto é pretexto para novas manifestações. Muitos iranianos descem à rua arriscando a sua vida contra um regime iníquo.

Não têm medo, pois a vida e a liberdade foi-lhes de há muito retirada…

Coragem e sofrimento.

3235042532351199

32352189

Fotos_ NYTimes

sábado, 26 de dezembro de 2009

Sair da toca

FotoDNEntrevista a Pedro Santana Lopes 18 de Dezembro 2009

Não me espanta muito que os “donos dos votos” no PSD tenham ficado profundamente desorientados com a ideia de Santana em convocar um congresso extraordinário para o PSD. Um congresso do PSD foi, até à tragédia das directas, um teste fundamental à capacidade dos vários líderes. Uma prova de fogo que permitiu aos líderes eleitos encarar a governação do país.

Se o PSD retomar a sua discussão franca e viva, olhos nos olhos, o País agradecerá.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Estranho Natal

 

287_KKK_Ashland

“Na véspera de Natal de 1865, poucos meses após o final da
guerra civil americana, seis jovens oficiais do derrotado exército confederado, naturais de Pulaski, no Tennessee,
decidiram formar um clube.
Deram-lhe um nome – Ku Klux Klan (KKK) –, inventaram
ritos, senhas, e até uniformes, feitos de lençóis e fronhas de almofadas. Divertiam-se a cavalgar de noite nestes
preparos, em cavalos envoltos em panejamentos. Os negros mais supersticiosos assustavam-se com estas aparições, e essa foi uma das razões para o sucesso do clube,
que rapidamente atraiu, no Sul, muitos brancos descontentes
com o fim da escravatura. Começaram a surgir vários
clubes irmãos, que, em 1867, se uniram numa organização
nacional. Data deste momento o primeiro registo escrito do nome Ku Klux Klan, que derivará da palavra grega kuklos  (círculo) e do termo inglês clan grafado com um “k”. A brincadeira tinha acabado. Professores brancosOrHi 51017
que ensinavam crianças negras eram linchados, escolas e
igrejas foram incendiadas. E os negros que se recusavam a trabalhar para brancos, ou que prosperavam por sua conta,
eram chicoteados, enforcados, castrados, queimados vivos.
Em 1872, o KKK foi reconhecido como organização terrorista e banido dos EUA. Reapareceu em 1915, e chegou a ter quatro milhões de membros nos anos 20. Novamente  inactivo nos anos 40, reapareceu na década
seguinte, mas mal se distingue hoje de outros grupelhos
racistas e neonazis.”

KuKluxKlanPúblico P2 (24.12.09)

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Boa onda

Enquanto nós tiritamos de frio,  no Hawai disputa-se o “torneio” EDDIE AIKAU; competição que só  ocorre quando as ondas em Waimea Bay atingem mais de 6 metros de altura.

14 Makua Rothman  Garrett McNamaraMark Healy 

Fotos_Reuters (em cima); Afp e AP (em baixo)

apafp

 

Gente de coragem e de boa onda:

sábado, 19 de dezembro de 2009

A descoberta da pólvora

larsson-2

Descobri um sueco que já toda a gente, menos eu claro, conhecia: Stieg Larsson.

O primeiro livro da triologia Millenium que me ofereceram há um par de meses é uma obra viciante, inteligente  … e nada ao meu estilo. E por isso, surpreendentemente cativante.

.9789892302379_1246625140

Estou a começar o segundo livro - A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo – e só gostava que fosse Agosto.

9789892303451_1246625135_3

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Pontapé no marasmo

PORTUGAL SANTANA LOPES  FotoDN

Santana Lopes não terá certamente todos os defeitos do mundo … tem alguns, como todos nós. Mas se há característica que ele tem, de forma clara, é a combatividade. Uma característica essencial em política que tem, manifestamente, faltado ao PSD.

A notícia de que Santana Lopes prepara uma recolha de assinaturas para se efectuar um Congresso extraordinário do PSD para debater o partido antes das próximas directas parece-me uma medida necessária e urgente.

Não só pela necessidade de encarar com seriedade e consistência os problemas do país, mas tendo também presente que o PSD piorou quando passou a ter congressos sem interesse electivo. As directas foram uma desgraça. Todas elas.

Está tudo "pazzo"



A agressão a Berlusconi motivou em Itália uma reacção do Governo que, diz-se, irá legislar contra algumas “liberdades” que a internet permite. Nomeadamente as páginas do Facebook de apoio a Massimo Tartaglia, fotografias da agressão, etc.

Foto_Reuters

Mais uma vez Berlusconi tenta usa o Estado em seu benefício, numa postura totalitária à imagem de regimes como o chinês ou o iraniano. Sob uma capa light – claro – de limitação dos incentivos à violência...

Berlusconi é efectivamente uma praga que assolou a minha querida Itália e é uma vergonha para a Europa ter entre nós espécies sul-americanas deste calibre.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Sim Sr. Ministro

Michael-OLeary-Ryanair-CEO Foto_TremendousNews

Portugal não tem Ministro do Turismo - tem apenas uma Secretaria de Estado ligada ao Ministério da Economia, Inovação e Desenvolvimento liderado por Vieira da Silva - mas funciona como se o tivesse.

David O’Leary o chefe da Ryanair continua a investir em Portugal. Depois do Porto cabe a vez a Faro, alargando cada vez mais a frequência e o número de rotas que aquela companhia tem para o nosso país.

Não sei se alguém já fez as contas do que o país têm ganho com estes investimentos, mas apesar do apoio que (julgo) o Estado dá às empreses de aviação lowcost O´Leary merece o título (honorífico) de Ministro do Turismo nacional.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

O meu browser

 

0000048222

“Na semana passada o Google lançou a versão beta do Chrome para Mac e Linux. Um lançamento que teve um efeito imediato no mercado, fazendo com que o browser da Google ultrapasse o Safarino terceiro lugar do mercado de navegadores.
O lugar tem mais a ver com o simbolismo da posição, representando apenas 4,4% da quota de mercado, em comparação com os 4,37% do browser da Apple.
A grande fatia do mercado é ainda dominada pelo Internet Explorer e pelo Firefox.”

notícia e foto: i (15DEZ09)

Afeiçoei-me a ele. Não o troco.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Se velhos são os trapos...

Aqui há uns tempos, encontrei-me com uns amigos. Daqueles que a gente gosta mesmo de se encontrar!
A propósito, no que toca a amizades, por vezes, passamos anos a pensar que amigos são só aqueles que partilharam connosco  a carteira da escola primária e que os outros são apenas de ocasião. Mas nem sempre é assim! Quando já temos idade para ter juízo (e filhos), ainda vamos a tempo de fazer boas amizades.
Mas, dizia eu, nesse encontro de amigos, um deles chamou-me, carinhosamente, de "velho"... É claro que, noutras circunstâncias, não teríamos achado muita piada a esta classificação, mas, vindo de quem vinha, até que foi reconfortante.
Devo dizer que esse encontro, embora curto, foi muito bom.

Mais tarde, meses mais tarde, lembrei-me disto novamente. E comecei a pensar... Realmente, isto de dizer que "velhos são os trapos" tem muito que se lhe diga! O confronto entre os conceitos de "velho" e "idoso" sempre foi controverso. Vejamos: Idoso é, em sentido lato, aquele que tem muita idade. E mais nada há a dizer sobre isso, a não ser que o idoso é aquele que já viveu tempo demais e que a sociedade já não sabe lidar muito bem com as pessoas idosas.
Por outro lado, velho é aquele que já viveu o suficiente para poder dar verdadeiras lições de vida. Como os "velhos lobos do mar" que passaram tempo suficiente em cima de água para aprenderem a respeitar o Mar e a ensinar os marinheiros mais novos. "Velhas raposas" são aquelas que não cegam por qualquer galinha, mas sim aquelas que antecipam o perigo à entrada do galinheiro e agem com astúcia. Por isso, chamar alguém "velho" não é, nunca, depreciativo, mas e antes pelo contrário, sinal de respeito e sobretudo de admiração.

Por tudo isto, resta-me apenas dizer obrigado. Obrigado amigo por me chamares "velho".

Sem dignidade

Hoje o jornal Público dá relevo ao facto de se leiloar hoje um obituário do Mosteiro de Santa Cruz, contendo informações desde 1118 sobre as mortes de membros da Ordem dos Cónegos Regulares de Santo Agostinho.

Arrepiei-me pela leveza com que se vende o património (a base de licitação é de 3 mil €), mas a notícia não fala desse aspecto. Talvez o erro seja meu.

41490_20_1249146722Gosto muito de Coimbra mas a cidade sempre me impressionou, desde que lá estudei, pela maneira como (não) trata do seu património construído (abundante e riquíssimo). O contrário disso pode ver-se agora no antigo  Mosteiro de Santa-Clara, perto do Mondego e no Museu Machado de Castro (que ainda não visitei, depois das obras de reabilitação).

Mas, de uma maneira geral, apesar de ser uma cidade com “massa crítica”, a população foi assistindo, em silêncio, à delapidação ou degradação do seu património, nomeadamente no aspecto arquitectónico. Coimbra tem aberrações inacreditáveis em completa desarmonia com o património edificado, nomeadamente belíssimas casas dos anos 40 e 50 do séc.XX.

Um dos aspectos que mais me choca é a Igreja de Santa  Cruz. O lado exterior da igreja foi objecto, recentemente, de um arranjo exterior (pavoroso, diga-se) que lhe libertou mais a belíssima fachada.

1211205838

Lá dentro, estão sepultados D. Afonso Henrique e D. Sancho, mas podiam estar lá sepultado o Sr. Joaquim que ninguém estranharia.

E tornei lá há pouco – lá dentro - e o primeiro Rei de Portugal continua sepultado numa linda igreja, a precisar urgentemente de recuperação, num mausoléu escondido e decrépito, sem qualquer indicação ou a dignidade amplamente merecida.

Fotos_blogues_4estarolas_açoresnet

À inglesa

112605_12_4551_IMG_6399

A vitória do Vitória ontem em Belém foi, como têm sido os últimos jogos, muito importante. Permite que o Vitória vislumbre mais facilmente os primeiros lugares (leia-se 5º) da Liga portuguesa.

Dirão alguns que o Vitória não jogou bem; a mim parece-me que o VSC teve a atitude competitiva que lhe faltou contra o Porto (pelo menos em todo o tempo de jogo tirando aqueles fulgurantes 20min da 2ªparte) e por isso criou oportunidades e ganhou bem.

105900_2_676_psergio_g

Quando se fala em renovações gostaria, enquanto vitoriano, que esta direcção renovasse com o treinador. Ele chegou cá há pouco tempo mas parece-me competente, honesto, trabalhador e não é “fala-barato”. Quatro bons motivos para que ele assine, no mínimo, por 4 anos. Devíamos, um dia tentar isso. E este é o treinador ideal.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

A Religião e o Estado

O presidente Obama carrega um peso enorme. O peso das expectativas dos americanos e também, globalmente, as expectativas de todos os outros países, dado o papel e a importância dos EUA no mundo actual.

O discurso do presidente Obama quando recebeu o Nobel deixou-me particularmente tranquilo, pois mostrou um presidente que não deixa de ter o sentido da realidade. Muita gente, que não eu, deve ter torcido o nariz quando Obama disse, sem cinismo, que o “uso da força é por vezes necessário”. É o mundo em que vivemos. E tranquiliza-me que ele assim pense. E que não embarque nas visões idílicas do mundo que resultam inevitavelmente no reforço dos extremismos.

Obama tem “espessura”. Não fala por falar. O discurso sobre a América e as religiões, ainda durante a campanha eleitoral, é um exemplo disso mesmo:

E falar assim durante uma campanha eleitoral não deixa de ser digno de apreço pela coragem e lisura demonstradas.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Assim não brinco

 

0000111231

Na passada sexta, enquanto conduzia, acompanhei parte do debate na AR sobre o estado económico financeiro do país. Um debate duríssimo, interessante, necessário.

Por momentos pensei estar noutro país. Um país em que não ter maioria absoluta é normal. Em que é normal negociar, debater, ceder, encontrar soluções fora da malta do partido.

Mas não estou. Estou num país em que o Primeiro-Ministro não sabe conversar e que não dá a bola a ninguém. Ainda para mais chama o pai para bater nos outros meninos.

Cavaco tem mais com se preocupar. E se falar ao país deve sobretudo falar sobre a lástima económico-financeira em que nos encontramos e como devemos sair dela, já que o Governo está mais preocupado com a sua sobrevivência política do que, propriamente, com o país.

Foto_LUSA

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Cada tiro cada melro

Afinal está tudo explicado.

0000110885

A conversa de Manuel Godinho com Armando Vara não foi uma conversa, foi um pedido de informação. Godinho perdeu-se na complicada cidade de Lisboa e, por azar (ou sorte) bateu à porta de Armando Vara procurando o Sr. Paiva Nunes administrador da EDP imobiliária. Acontece. Já uma vez andei à procura do Dramático de Cascais – para ver um concerto de Lloyd Cole- e bati na porta do Presidente da República, à altura o General Ramalho Eanes.

ver notícia

Soube-se isto no programa da Judite de Sousa que se vai assemelhando ao programa em que o Herman “lavava mais branco” nas noites de sábado. Esquece-me o nome do programa…

A RTP põe-se a jeito para estas coisas.

Resumindo: o Dr. Armando Vara só recebeu um presente de Godinho (os robalos recebidos em Vinhais) e, além disso, deu-lhe um simples e cristão esclarecimento.

Foto: Filipe Casaca (i)

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Palha de aço

As vozes que se levantaram contra esta discussão foram mais do que muitas. “Uma vergonha” gritou em uníssono o Portugal politicamente correcto. O “Portugal” que se indigna com os outros, mas nunca consigo. Sempre.

Do que conheço das pessoas, do que pude ler, acho que a Sra. esteve muito bem e que atitudes destas não envergonham o Parlamento. Aturar palermices calada é que o tornam pastoso e inútil.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

O nova-iorquino

JOHN LENNON NY T-SHIRT

John Lennon por Bob Gruen – o fotógrafo que a 8 de Dezembro de 1980 tinha marcado um encontro com o músico.

John Lennon, the NYC years em NYC

sábado, 5 de dezembro de 2009

Areia

Animação em areia pela ucraniana Kseniya Simonova num concurso de talentos.

Claro!

ng1226005 Foto_DN

“(…) O que está a matar o PSD não é novo, vem-se desenvolvendo e enquistando há muitos anos: há cada vez mais gente que precisa do partido, seja do grande lugar como do pequeníssimo lugar, e há cada vez menos gente que é livre e independente. Há cada vez mais gente que não existiria na sociedade, não teria o trem de vida que tem, que não teria o emprego que tem, que não teria as prebendas que tem, se não fosse serem alguém numa estrutura qualquer. Há cada vez mais gente que é empregado da social-democracia e há cada vez menos sociais-democratas.”

Pacheco Pereira, Público de hoje

Está cá tudo neste excerto de artigo. Claro como a água as tentações guerrilheiras do PSD. Internamente é claro!

O suicídio de que falava Balsemão não é um suicídio é um assassinato.

Um assassinato às mãos desta gente … de que Pacheco Pereira fala.

Titãs

Nestes dois pequenos vídeos estão algumas dos principais músicos de Jazz de todos os tempos.

O meu querido Coleman Hawkins, Charlie Parker, Hank Jones que vi recentemente em Guimarães (aqui com menos 60 anos!) …

… novamente Hank Jones num precioso solo, depois Lester Young e last but not least Ella, num exercício pouco excitante de scating. Não por Ella (claro está!), mas pelo scat em si.

O companheiro que pôs os vídeos no YouTube merece um abraço. Deixou informação concisa e precisa o que é, naquele canal, uma raridade.

4 de Dezembro de 1980

 

Adelino_Amaro_Costa_18-thumb 

 

29 anos e nenhuma explicação.

 S_Carneiro

AAC-724170

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Um homem de mérito

DN

Ao Manuel Machado aconteceu um azar. Dos grandes.

O Manuel Machado sempre foi um homem de trabalho que construiu a sua carreira - com grande mérito - sem nunca necessitar dos lobies dos jornais ou de empresários para construir uma carreira bem sucedida.

Ao Vitória, que o lançou nas camadas jovens, só fez bem. Que esse “bem” que fez tenha uma volta, como um bumerangue, e lhe permita recuperar da situação em que se encontra.

São os meus desejos. E os de muita gente certamente.

Força Manel!

Foto: DN

O Lexotan caseiro

guimaraes

A Capital Europeia da Cultura (CEC) matou a discussão política em Guimarães.

Tudo tem girado em volta dela e, ao que parece, continuará a girar.

Quem ignora a CEC está a cometer um crime - não é “vimaranense” dir-se-á – quem dela fala começa a andar à roda pois não influencia absolutamente nada. Ou então finge que influencia e fica bem na fotografia, nada mais.

Ora este “quadro” seria absolutamente compreensível se estivéssemos noutro país. Por exemplo a Noruega; país em que o Estado é forte e o petróleo ajuda. Aqui a CEC funciona do ponto de vista social e político como uma anestesia, deixa-nos dormentes e dá-nos um propósito grátis.

E esta terra de trabalho e de gente trabalhadora vai-se transformado numa terra de gente nova desempregada, à procura do subsídio do Estado “dado” generosamente pelas mãos adequadas, e de passeios e jantares de seniores – como eufemísticamente se diz – em que as mesmas mãos que dão o subsídio se juntam a uma boca que lembra quem “deu” o jantar e a camioneta. Isto sem esquecer os que gostam de estar no sítio e local certo para ter o raio de sol que o poder permite. Ou seja, uma terra de gente sem esperança nem propósito que vá mais além da migalha que lhe cabe. Ora a CEC cai aqui como o Lexotan final. Permite um sono tranquilo.

Que fazer por isso com esta taxa de desemprego?

Que fazer com este comércio?

Como fazer para que os turistas que nos visitam gastem tempo e dinheiro cá no burgo?

Que fazer com as nossas casas que caem aos poucos sem que nenhum projecto de reabilitação urbana as faça olhar para o futuro?

Que fazer com a educação dos nossos jovens? Como apoiar os projectos das escolas em vez de as controlar?

Que fazer das energias dos jovens que se esgotam nas filas dos centros de emprego?

É simples: fala-se na Capital Europeia da Cultura.

Publicado in CG

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Nova Europa (?)

ue1

Entra hoje em vigor o Tratado de Lisboa.

Custou mas foi. Três anos de indecisões, negociações, alheamentos, desconfianças…

Mas o novo compromisso histórico aí está.

Mais fácil para os grandes países tomarem as decisões que o seu peso lhes confere. (E bem, penso eu).

Uma política externa comum. Uma segurança comum. (Difícil certamente).

Uma Europa que reforçará a cidadania. (Isso parece claro).

Uma nova Velha Europa. Por muito que se critique a Europa ela continua a ser o mais civilizado e interessante cantinho desta terra.

E viva a Europa!

Ver Público.

Ver site oficial.

Sucesso anormal

oren peli myung chun Foto: Myung Chun

Actividade Paranormal é um filme amador feito por Oren Peli, dirigido em sua casa, com actores amadores e com um orçamento de 15.000 dólares.

Este filme de 2007 andou a pular de festival em festival (ganhou o Screamfest Film Festival de LA, em 2007) até que alguém o lançou nas salas de cinema - com uma campanha adequada ao que julgo - em Outubro último.

A 13 de Novembro, quando ainda se encontrava no Box Office americano, já tinha arrecadado mais de 100.000.000 de dólares.

Este israelita irá fazer brevemente um filme sobre a intrigante área 51.

Há gente que constrói a sorte grande: Oren Peli é um deles. 

O filme estreia esta semana em Portugal.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Só entram casais

miguel barreira

Pessoalmente não tenho grande pachorra para perder tempo com polémicas estéreis. Prefiro sofrer e concentrar-me nos difíceis casos da política nacional, dos quais depende o futuro e a sanidade do país.

O interessante jornal i levanta, ao seu jeito, uma nova polémica a que dá honras de principal destaque. Mais um caso gay chic.

Ora vá lá saber-se então que a gamebox duo do Sporting, um pacote de jogos para duas pessoas sócias,  é feita (pasme-se) apenas para casais heterossexuais.

Vai daí que se ouve o cão, o gato, o peixe, o Miguel Vale de Almeida (claro!), e o inefável José Miguel Júdice. “Não pode ser” respondem todos em coro, apesar das dúvidas do peixe.

globo

Será que está tudo maluco ou eu estou a ficar um perfeito bota-de-elástico sem dar por isso?

E se há clube que me parece gay friendly  é o Sporting. Tanto pela camisolinha, como pela atitude.

Enfim, que maldade lhe haviam de fazer … queixarem-se à ASAE por discriminação de casais.

Já não bastava o chouriço caseiro e os doces de ovos para a desaparecida ASAE se preocupar. Agora isto!

domingo, 29 de novembro de 2009

A resistente

shirin_ebadi

“O Nobel da Paz de Shirin Ebadi – o primeiro atribuído a uma muçulmana – foi confiscado por um regime islâmico.
É um acto “chocante” e sem precedentes nos 108 anos de história deste prémio, lamentou o comité norueguês que a galardoou. Responsáveis em Teerão garantem que só congelaram contas bancárias por fuga aos impostos. “Eles não dizem a verdade!”, acusou a advogada a quem ameaçaram a família, vandalizaram a casa e  encerraram o escritório (…)”

Público (28.11.09)

286797

Foto_Reuters_Thierry_Roge

Shirin Ebadi continua a ser o rosto da resistência pacífica ao regime de Teerão. Desapossada, desde cedo, da possibilidade de exercer a sua profissão de juíza, esta mulher sentiu e sente na carne toda a loucura e indignidade do radicalismo islâmico.

Continua a viver em Teerão, apesar das ameaças de morte (ver notícia do Público) de que tem sido alvo.

Uma escritora corajosa e notável: A gaiola de ouro.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A semana do Reduzir

Esta semana está contida na Semana Europeia de Redução de Resíduos, que decorre entre 21 e 29 de Novembro.

Segundo a UE esta semana destina-se a:

  • Dar a conhecer as estratégias de redução de resíduos e a política da União Europeia e dos seus Estados membros nesta matéria
  • Promover acções sustentáveis de redução de resíduos por toda a Europa
  • Realçar o trabalho realizado por diversos intervenientes, através de exemplos concretos de redução de resíduos
  • Incentivar uma mudança de comportamento dos Europeus (consumo, produção) no dia-a-dia.

Pode dar-se uma vista de olhos em (clicar na imagem):

SEP

E depois do adeus

nuno simas Foto: Nuno Simas

O PSD entrou na esquizofrenia que o tem caracterizado nos últimos anos. Andando, furiosamente, em círculos, sem sair do lugar em que inicialmente se encontrava.

O pretexto é naturalmente a sucessão na liderança.

Quem me conhece minimamente não estranhará a minha simpatia por Marcelo Rebelo de Sousa. Ainda recentemente a isso me referi. Gosto de gente com substância e penso que o país necessita disso.

Que o queira, já é outra questão…

Simpatizo e aprecio as qualidades retóricas e fotogénicas de Pedro Passos Coelho. Parece-me “boa praça”. No entanto ele representa, e representará, o “equilibrismo”. Estará naturalmente na mão de gente como o presidente da Distrital do Porto que ontem deu uma entrevista ao seu estilo, ao estilo “estou aqui, sou eu o brise contínuo novo desodorizante”. O que me irrita sobremaneira. E não contribuirá para uma liderança forte, mas para uma liderança ao sabor de sindicatos de voto devidamente referenciados.

O PSD precisa de um líder que valha por si.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

A valsa lenta

 

pub

A capa do público hoje diz muito sobre a nossa Justiça.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Contagem decrescente

hopenhagen

A conferência do Clima em Copenhaga está a dias de começar (decorrerá de 7 a 18 de Dezembro).

Sair de lá com um mão cheia de nada é uma franca possibilidade, caso os EUA e a China (os principais produtores de CO2) continuem com evasivas. A reunião dos G2 na China não trouxe qualquer esperança a esse nível.

No entanto os cidadãos continua a ter esperança:

hopenhagen1

Os cidadãos de HOPENHAGEN vão deixando o seu contributo. Vale a pena dar esse contributo em forma de mensagem: é uma espécie de oração. Eu já dei o meu.

domingo, 22 de novembro de 2009

Bem feito

slb2211

Ainda ando eu para aqui a dizer que não há Justiça. Hoje à noite ela voltou, sob a forma de uma bola.

Foto: A Bola

104428_14_7546_IMG_8687

104428_2_2717_IMG_8586_p

Fotos: VSC

sábado, 21 de novembro de 2009

Divertido

grd-388

Expresso (pormenor da página 1)

Podemos queixar de muita coisa. Da corrupção, dos preços da água e da luz, do défice, do desemprego, da função pública, da cidadania, ou das grandes superfícies.

Mas há algo que este país não deixará nunca de ser: um país divertido e sempre, absolutamente, surpreendente.

Zelig

 

Há uns anos atrás Woody Allen apresentou um filme bizarro, mas muito divertido e engenhoso, ao qual deu o nome de Zelig.

No filme, Zelig, uma espécie de camaleão humano, adaptava-se às circunstâncias, do ponto de vista psicológico e físico.

Pinto Monteiro, o PGR, não vai tão longe. Não ganha o jeito afectado e arrogante de Sócrates quando conversa com o PM. Mas que procura não incomodar ninguém, lá isso procura.

9158

Talvez olhe para o seu antecessor, Souto Moura, tão criticado e enxovalhado, mas certamente um homem corajoso e recto, e pense … “quem se mete com o PS leva”.

Foto:Público