quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Estamos em guerra




O 11 de setembro de 2001 marcou uma mudança profunda na nossa vida em sociedade. Um ataque bem planeado mostrou ser possível, de forma espetacular, trazer a guerra para dentro das cidades ocidentais, já que a liberdade de circulação, a complexidade dessas mesmas cidades e alguma confiança no nosso way of life nos descompromete da vigilância necessária. A tudo isto acresce a popularidade demagógica dos cortes sucessivos na segurança policial e militar nos países europeus.

O miserável atentado de Paris, e o falhanço absoluto da segurança do Estado francês, é um dos atentados que se têm verificado na Europa e um de muitos que com certeza se verificarão, pois na Europa existem comunidades organizadas que espalham o ódio aos valores ocidentais e grupúsculos que estão dispostos a espalhar o terror em nome de uma causa que julgam maior.

Poderemos organizar as vigílias necessárias, poderemos exprimir a nossa incontida mágoa nas redes sociais mas o facto é que estamos a ser atacados dia a dia, e o medo vai suplantando a coragem nos povos europeus.

É urgente defender aquilo que nos demorou séculos a construir: a democracia, a liberdade, o estado social. Com determinação! E quanto mais depressa nos apercebamos que estamos efetivamente em guerra melhor será para ganharmos a coragem necessária para defendermos a nossa civilização. A começar, desde logo, por sermos mais solidários entre nós.

Foto: Thomas Samson (AFP)

Sem comentários: