terça-feira, 13 de julho de 2010

Os meus filmes #9

 

Frank_Capra

O siciliano Frank Capra é um portador da esperança, da rectidão e dos valores humanos, que dos anos 30 aos anos 50 espalhou pela sua obra, em filmes como Uma noite aconteceu (It happened one night, 1934), Do Céu caiu uma estrela (It’s a wonderfull life, 1946), O Mundo é um manicómio (Arsenic and Old Lace, 1944) … e o perfeito PEÇO A PALAVRA (Mr.Smith Goes to Washington, 1939).

 

mr-smith-washington_l

Capra é o protótipo do Sonho Americano. Imigrado aos seis anos para LA, logo começa a vender jornais para ajudar a sustentar a família. Estuda denodadamente e tira o curso de Engenharia Química à custa do seu mérito e esforço. Chega ao Cinema por paixão e é o homem que na Columbia faz a transição para o sonoro (The Donovan Affair, 1929). Com o reconhecimento público sente-se confortável para batalhar pelo direito artístico dos realizadores de então, e emprega gente como Sidney Buchanam (ligado ao Partido Comunista) que o ajuda a adaptar a belíssima história de Lewis Foster (vencedor do óscar pelo argumento de Peço a Palavra: o ano em que Tudo o Vento Levou arrasou a concorrência e que James Stewart não ganha quanto tanto merecia).

1083_RS37_CPCORPDCOL43222.jpg

Um homem como Capra não foge às obrigações e alista-se no Exército Americano para servir na Segunda Guerra Mundial.

Com este quadro não é nada estranho que PEÇO A PALAVRA seja de uma honestidade comovente.

O fantástico James Stewart/Jefferson Smith luta até ao fim contra a corrupção, personificada no senador Paine (Claude Rains), contando com a ajuda indispensável de Jean Arthur/Clarissa.

Para que o filme ficasse na História, não só pela beleza mas também pelo seu significado, estreia numa Europa a braços com a sanha nazi e acaba por simbolizar, apesar da perseguição de jornalistas e políticos na América, a Democracia. A aura da América livre ganha muito com este filme e influencia toda uma geração ameaçada pela opressão e pela guerra.

1083_RS46_CPCORPDCOL43253.jpg

Os valores que transmite são ainda hoje paradigmáticos, não havendo cinismo que os belisque.

Um grande grande filme.

 

Fonte principal: Frank Capra – Folhas da Cinemateca

Sem comentários: