domingo, 6 de novembro de 2011


"Meia Noite em Paris"

Confesso que não escrevia no blogue do meu querido amigo Rui Vítor há já algum tempo. E das últimas vezes que o fiz, foi para comentar um ou outro filme que tinha visto e me tinha marcado, de uma forma ou de outra. Não o tenho feito recentemente pois as funções de pai impediram-me de ir às salas de cinema, coisa que retomei agora, com alguma nostalgia. 
E voltei para ver a última película de Woody Allen, "Midnight in Paris", um realizador que me tem marcado ao longo de toda a vida. Uma fita a recordar o sentimentalismo romântico que Allen nos habituou, mas, desta vez, a história não se passa na sua amada Nova Iorque, mas sim no lado de cá do Atlântico, na cidade das luzes.
Um filme marcante que conta a história de um escritor de argumentos para cinema e que, numa viagem a Paris com a sua noiva, decide ficar a viver naquela cidade. Mas a história tem muito mais do que isto. Não a irei contar, é claro, pois assim perderia a piada toda para quem lê esta pequena crónica, mas deixo aqui o meu testemunho:

 Não sei se é da idade mas estava mesmo a precisar de ver um filme assim, romântico, nostálgico e sem o cunho Hollywoodesco do cinema americano, mesmo ao estilo de Woody Allen.

1 comentário:

Rui Vítor Costa disse...

Deixaste-me curioso.
O Woody Allen é o realizador que mais filmes vi. Já há uns anos que os vejo, mas com falta de pachorra, tirando esse puro woody allen "Tudo pode dar certo" de 2009.
De qualquer forma irei vê-lo no final do mês aqui no cineclube ... com (muito ou pouco)romantismo.
Principalmente agora que o dizes.
Abraço.