terça-feira, 28 de agosto de 2012

Verão quente

O Verão é feito para eu pôr a leitura em dia. Serve para outras coisas, mesmo assim.

 

The_Ponder_Heart

Eudora Welty, escritora sulista do séc.XX americano. Comprei A Filha do Optimista (1972) que lhe valeu o Pulitzer. Ofereceram-me na Bertrand O Coração dos Ponders (1954) como uma pequena oferta para uma grande compra. Adorei a oferta mais que a compra. Muito mais. O Coração dos Ponders (a capa que reproduzo é linda, a da Relógio d´Agua é de fugir) foi para a Brodway numa peça em 1956. Quão divertida deveria ter sido.

 

Às vezes resisto, como um casmurro. Valter Hugo Mãe não era bem uma resistência, era mais um espera aí.

O filho de mil homens_Capa_peq

O filho de mil homens é genial. Vou ter que ler para trás. Que maçada. Fi-lo com Roth, para trás (Columbus) e para a frente (Nemesis). Pareceu-me menos triste nos dois e isso deixou-me triste e desiludido.

O elogio de Juan Marsé (Caligrafia dos Sonhos, 2011) feito por António Lobo Antunes, será merecido talvez. Eu não cheguei lá, como n’Água Viva (1973) de Lispector que adorei. Como me comoveram algumas das histórias do Tabucchi no livro de título feliz: O tempo envelhece depressa, 2009.

zona de desc

Franzen merece, ponto por ponto, a fama que tem. Lê-se a zona de desconforto (2012) e torna-mo-nos seus amigos.

2 comentários:

casimiro silva disse...

Lê à vontade Valter Hugo Mãe para trás. Vais ver que é excelente.

Rui Vítor Costa disse...

Assim o farei. Abraço.