quarta-feira, 15 de junho de 2011

Não querer pensar

 

Um grupo de centenas de agitadores começou a provocar a polícia, atirando objectos e derrubando as barreiras de segurança

Foto de Atenas in Expresso

 

E a gente lá se vai entretendo a pensar que tudo vai melhorar e que a Grécia é a Grécia e nós somos nós e a Espanha escapará imune. Um erro infeliz tal raciocínio.

Há que fazer alguma coisa e rápido. Não é vendendo as ilhas gregas, ou as Águas de Portugal, ou a TAP ao desbarato que os países melhoram.

É dizendo (a uma só voz) aos credores das dívidas soberanas que não dá. Não dá para cobrar juros a 12%, nem a 9%, nem sequer a 5%. Dizendo que o sistema está louco se esgana a vítima com uma mão e com a outra lhe saca a carteira. Dizendo que os países têm pessoas dispostas a fazerem sacrifícios mas não dispostas a uma nova escravatura.

É necessária uma resposta europeia e rápida e que os mercados sejam mercados, mas que a política seja política … acima dos mercados.

Sem comentários: