segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Já chega

 

FUTEBOL - makelele(esq)da academica durante o jogo entre as equipas Academica-V.Guimaraes da 6™ jornada da liga zon sagres no estadio efapel cidade de coimbra, dom. 07 Out 2012 FERREIRA SANTOS / ASF

Foto_VSC

A vitória do Vitória ontem em Coimbra foi merecida, não obstante a forma como o segundo golo foi obtido e a minha vontade de ver a minha equipa vencer. Coube ao Vitória as melhores oportunidades e um querer superior ao dos academistas, nem sempre acompanhado, é certo, por uma técnica compatível com a determinação apresentada.

O que me continua a deixar triste é a forma raivosa se vê hoje o futebol. O facto das claques serem, regra geral, instrumentos de ódio que ontem em Coimbra culminou com ataques às camionetas de Guimarães.

Tenho uma relação muito forte com Coimbra – a cidade onde estudei – e durante anos acompanhei o meu Vitória no meio dos adeptos da Académica sem que alguma vez tivesse qualquer tipo de problema. E foram vários os encontros que vi. Não me converti à Académica – algo que não passa pela cabeça de qualquer vitoriano – e nem por isso deixei de ver futebol em Coimbra (mesmo com a Académica na segunda lembro-me de um jogo da taça em que fomos por ela eliminados).

Depois do caso N´Dinga as coisas mudaram. E num ano em que no campo a Académica ficou atrás do Vitória criou-se um estúpido mito que ainda hoje perdura em algumas cabeças mais tontas. E o ódio de muitos adeptos da Académica ao Vitória tornou-se um sentimento dogmático e nos últimos anos saí sempre do “calhabé” com a sensação que poderia ter terminado mal o jogo; não pelo resultado mas pela minha integridade física.

Por estas e por outras raramente acompanho hoje a minha equipa fora de casa. Já não vejo o Vitória em Coimbra há dois anos, este que é certamente um estádio onde mais vi jogar fora o meu clube. Não tenho paciência para o insulto, a ameaça, a agressão. E tenho pena que a Académica não fuja também a esta estranha anormalidade que, dia a dia, se torna normal e que corrompe o futebol que deveria de ser, acima de tudo, um espetáculo.

Sem comentários: