sábado, 6 de abril de 2013

O PRIMADO DA LEI






É reconfortante perceber que no meio da barafunda e do ruído ainda há instituições e pessoas a cumprirem de forma diligente o seu dever. Esta semana houve dois casos fundamentais: Nuno Crato  a propósito da licenciatura de Relvas e o Tribunal Constitucional e a sua decisão sobre normas orçamentais.

Se no primeiro caso me ficou agora o conforto de ver coragem e determinação, ao contrário da vergonha nacional, acobertada pelo clã socialista, que revestiu as abafadas suspeitas sobre a lisura da licenciatura de Sócrates, no segundo caso, e pese as pressões e as inclinações políticas dos juízes, o Tribunal Constitucional tomou uma decisão corajosa depois da cautela (em jeito de aviso) do ano anterior. A Constituição não está suspensa disse-o ontem, alto e claro, o presidente da República a que ninguém liga e que, frequentemente, diz coisas acertadas e necessárias.


Foto: Rui Gaudêncio in Público

Sem comentários: