quarta-feira, 19 de setembro de 2012

O difícil equilíbrio

thugs-and-killers-dont-represent-benghazi-nor-islam

A histeria que se estabelece no mundo islâmico sempre que algum palerma decide achincalhar Maomé é uma verdadeira loucura.

Há uma semana atrás, em Bengazhi na Líbia, o embaixador norte-americano e mais três elementos do consulado foram brutalmente assassinado por uma turba de facínoras que emboscaram a representação norte-americana.

O pretexto foi um filme, com o qual os EUA nada têm a ver.

A intolerância tende a gerar intolerância e compreendo que, no Ocidente, tal selvajaria e a miríade de manifestações no Egito, na Indonésia, e noutros países muçulmanos, gere sentimentos de náusea perante tão primárias manifestações.

 

Mas vamos ter que ter paciência para nada fazer que “dê razão” aos promotores do ódio contra o ocidente. Tenho a certeza que a larga maioria dos muçulmanos são gente decente que espreita a oportunidade de viver em sociedades mais democráticas, livres e justas. Qualquer erro ocidental, mesmo que compreensível, isola-os.

E é esta paciência e uma infinita diplomacia que deve guiar, a Europa ou os EUA, neste campo de minas que existe hoje entre o Ocidente e o Oriente.

O tão criticado Bento XVI fez, no Líbano, uma parte simbólica, mas importante, na conciliação entre povos e religiões.

 

 

Foto_http://globalvoicesonline.org

1 comentário:

Carolina Neto disse...

Segue o meu blog e eu sigo o teu

fashionpassionomg.blogspot.com