quinta-feira, 26 de maio de 2011

Na praça das amoreiras

.

.





Um dos museus mais interessantes e singelos que conheci há um par de anos foi o Museu de Vieira da Silva e Arpad Szenes, na Praça das Amoreiras, por cima do largo do Rato, em Lisboa.



A obra é boa, mas o museu, uma antiga Fábrica de Tecidos de Seda, cujos bichos eram alimentados pelas amoreiras que deram o nome ao largo, é de uma simplicidade cativante.







O Museu é agora novamente notícia (foto: Miguel Lopes/Lusa) pela retirada de dez das dezasseis obras da pintora portuguesa e que sendo de pertença particular, foram agora reclamados. É uma pena que o Estado assista, impassível, a esta situação.







Fica assim bem mais pobre um dos mais interessantes museus portugueses de pintura que sai agora, por tristes razões, de alguma incompreensível clandestinidade ... enquanto museu.


Sem comentários: