quinta-feira, 22 de abril de 2010

Este país não é para portugueses - I

smokebreak_kirkthor Foto_SmokeBreak_KirkThor_in_Flckr

Aos poucos o inverno meteorológico que nos tentou afogar no último meio ano começa a perder a sua força. A muito custo é certo, mas parece já inevitável que a chuva e o vento que vão aparecendo sejam mais uma birra que um propósito.

Está na altura então de emergir e de aproveitar o Sol para “deixar de”.

Deixar de fumar será sempre um bom propósito primaveril para aqueles que (ainda) fumam. Como eu aliás, apesar de ter já há uns anos entrado na categoria das cigarrilhas e dos charutos, uma espécie de campeonato envergonhado, apesar de elitista, dos fumadores. Os tais fumadores que não travam apesar de o fazerem e desejarem deixar de o fazer. Deixar de comer fritos é outra boa decisão para quem quer perder uns quilitos (sempre gostei desta expressão pois quem o diz reconhece peso a mais mas não o dramatiza). Deixar de ver televisão. Deixar de passar tanto tempo ligado à internet. É altura para os viciados das mensagens electrónicas deixarem de enviar mais de 200 sms por dia e darem algum descanso às falanges. A primavera vai convidando também a deixar de estar sentado e a deixar de estar mal disposto.

Mas “deixar de” não é propriamente um propósito: é mais uma oração. Quem quer “deixar de” não está propriamente interessado em deixar, mas sonha que isso possa acontecer. Com a mesma convicção e probabilidade de um conto de fadas.

Sem comentários: