domingo, 5 de dezembro de 2010

Saudades do Portugal

 

25132

Impressionou-me vivamente a fotografia e  o texto de Joaquim Magalhães de Castro (JMC) publicado no suplemento Fugas do Público de sábado.

Nela se vê os tripulantes de um dos barcos que a 16 de Novembro se foi despedir do navio-escola Sagres, já que haviam sido barrados pelas autoridades de o fazerem em terra.

Segundo JMC:

<Esta manifestação traduzia bem o sentir dos goeses, que nunca deixaram de ser portugueses. Numa das faixas exibidas bem alto podia ler-se "Viva Portugal. Nós amamos o Portugal. Boa viagem Sagres". Noutra: "Adeus Sagres. Viva Portugal. Goans love you."
A presença dos pescadores em festa foi a bofetada de luva branca nos denominados freedom fighters, promotores das manifestações anti-portuguesas dos dias anteriores. Curiosamente, um dos seus mais proeminentes dirigentes marcou presença na recepção oficial que a Sagres ofereceu à comunidade local, marcada pela ausência previamente anunciada do Ministro de Estado de Goa que, intimidado pelos protestos dos fundamentalistas locais, inventou uma viagem de trabalho a Deli para não estar presente. Foi uma recepção com direito a fado com pronúncia local, vinho moscatel, cerveja Sagres (claro!), presunto, queijo dos Açores, bacalhau e até uns deliciosos pastéis de nata, confeccionados na cozinha da barca.>

 

Não deixa de ser comovente que estes goeses, muitos dos quais não eram nascidos em 1961 quando a União Indiana expulsou os portugueses do territórios, se vistam a rigor para dar nota do seu amor a Portugal.

Muita coisa fizemos bem. A capacidade de deixar saudades é uma delas.

2 comentários:

Ines disse...

É verdade. Muitos goeses sentem-se ainda portugueses e falam dos indianos como sendo "eles" e não "nós"

Rui Vítor Costa disse...

Que inveja...
Gostava mesmo de visitar aquele território.